quarta-feira, 10 de maio de 2017

talvez...





caminha o viajante por entre veredas,
longas estradas,
linhas imaginárias no horizonte
e o céu tão próximo...


talvez amanhã brilhe o sol...
talvez encontre o oásis perdido
por entre as areias do deserto sem fim...
talvez encontre pedaços de mim...





segunda-feira, 1 de maio de 2017

leve entardecer...





tão leve o amanhecer,
tão promissor este entardecer...


como se fosse Agosto,
como se os dias não tivessem horas,
assim são os dias de sol e de paz,
de silêncio, por entre o arvoredo,
por entre o colorido das rosas e dos liretes,
apenas interrompido pelo cantar do melro
ou das rolas nos cabos da rua...


abre-se a janela de par em par
como se a luz quisera entrar,
permanecer, dizer presente,
e batendo no coração diz suavemente:
"voltei, serei LUZ eternamente"...







sábado, 29 de abril de 2017

olhando as estrelas...






de onde vem este querer,
não querer,
este bem estar,
sem estar,
este constante palpitar,
como quem ousa viver
numa ilha perdida, isolada,
entre as estrelas e o mar?
perdido, errante, qual caminhante
sem tostão na algibeira,
segue em frente,
sem cidade que o acolha,
sem paragem na fronteira,
apenas e só o querer,
o estar
num qualquer barco sem remo,
baloiçando,
sonhando,
sempre que uma estrela brilhar...









terça-feira, 25 de abril de 2017

outras cores...








procuro e não encontro
porque não sei o que procuro
entre a luz e o escuro
que é tudo o que me rodeia...
apenas a flor,
o colorido no seu esplendor,
conseguem desviar meu olhar,
ver cor,
sentir o amor...